Já passou da hora de sair da concha

As pessoas têm postado nas redes sociais suas indignações com relação aos cortes no orçamento destinado à pós-graduação e à omissão das entidades que as representam. É justo. Mas seria apenas isso que nos incomoda? Seria apenas sobre isso que deveríamos nos manifestar? O que nos afeta é apenas a restrição orçamentária para o financiamento da participação em eventos, aquisição de equipamentos e livros? Será que não nos incomoda também o corte de recursos para a saúde e para a infraestrutura urbana e social que afeta principalmente a população mais carente? Não nos incomoda o desemprego, a fome, a miséria, o sofrimento? Que tipo de modelo de gestão é esse que dedica sua energia criativa para tornar os ricos mais ricos e os pobres mais pobres? Que tipo de compromisso é este que se dedica à acumulação capitalista? Será que todos os problemas repousam nos nossos umbigos? Será que nossos protestos se referem apenas ao que diretamente nos toca?
Os cortes orçamentários, em nome do ajuste fiscal, não incluíram o pagamento dos juros e serviços da dívida pública (45% do orçamento). Isso não significa nada?
Não pretendo ser o juiz do moralismo, mas além da pós graduação, houve corte em educação que impacta o ensino fundamental, houve na saúde que impacta o atendimento de serviços básicos, nos programas sociais que afetam os que o capitalismo exclui socialmente. O que a elite dos programas de gestão tem a dizer sobre isso? Já naturalizamos o sofrimento dos socialmente excluídos?
O Estado Capitalista é o intérprete dos interesses do Capital. Mais do que mostrar indignação com os cortes nas verbas para a pós graduação, deveríamos mostrar indignação e solidariedade com aqueles que a perversidade capitalista fere sem piedade, com o irrestrito apoio do Estado submetido ao sistema de capital. Já passou da hora de sair da concha.

José Henrique de Faria

José Henrique de Faria

Professor Titular da UFPR, no Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGADM (Mestrado e Doutorado) em Universidade Federal do Paraná
Pesquisador nas Áreas de Economia Política do Poder em Estudos Organizacionais e de Epistemologia Crítica do Concreto, Metodologia e Teoria.Orientador de Mestrado e Doutorado. Diretor Executivo do Instituto Ambiens de Pesquisa, Educação e Planejamento. Coordenador do Programa de Mestrado em Governança e Sustentabilidade do Instituto de Administração e Economia do Mercosul (ISAE-PR).
José Henrique de Faria

Deixe uma resposta

Carregando...
Pular para a barra de ferramentas