Tempo dedicado ao trabalho e sofisticação dos mecanismos de controle na gestão das unidades produtivas

[huge_it_share]

O tempo socialmente necessário e o tempo disponível de trabalho constituem-se, na perspectiva marxista, em elementos concretos fundamentais no processo de produção de mercadorias e, por isso, objetos de controle, pelo capital, em sua necessidade histórica de acumulação. Quanto mais reduzido o tempo de trabalho socialmente necessário à produção de mercadorias e quanto maior a apropriação, pelo capital, do tempo livre, maior a taxa de exploração. A dimensão do tempo de trabalho está contida na jornada de trabalho, durante a qual se desenvolve o processo de trabalho para a produção de mercadorias. O controle sobre o tempo de trabalho torna-se, assim, um elemento fundamental para o sociometabolismo do capital, de maneira que sua efetividade não é apenas técnica, mas histórica, social e política.

Acesse abaixo o PDF com o texto integral do artigo:

Tempo de Trabalho e Mecanismos de Controle

Apresentação do minicurso:

CBEO Minicurso PPT

José Henrique de Faria

José Henrique de Faria

Professor Titular da UFPR, no Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGADM (Mestrado e Doutorado) em Universidade Federal do Paraná
Pesquisador nas Áreas de Economia Política do Poder em Estudos Organizacionais e de Epistemologia Crítica do Concreto, Metodologia e Teoria.Orientador de Mestrado e Doutorado. Diretor Executivo do Instituto Ambiens de Pesquisa, Educação e Planejamento. Coordenador do Programa de Mestrado em Governança e Sustentabilidade do Instituto de Administração e Economia do Mercosul (ISAE-PR).
José Henrique de Faria

Deixe uma resposta

Carregando...
Pular para a barra de ferramentas